Cuidar de si mesmo em primeiro lugar, uma questão de Egoísmo ou de Responsabilidade?

» Posted by on 25/abr/2014 in Terapia Floral | 0 comments

Será egoísta aquela pessoa que em primeiro lugar foca seus interesses pessoais e vai em busca de seu bem estar? À primeira vista a resposta certa seria sim, é um ato de egoísmo quando nos focamos em nossos próprios interesses APENAS. Porém, pela ordem dos valores, se tentarmos estender nossas mãos ao próximo sem antes cuidarmos das nossas necessidades estaremos sendo, no mínimo, irresponsáveis tanto conosco como com tudo aquilo e com todos aqueles que nos rodeiam. É de suma importância que entendamos a lei natural das coisas. Você não pode colher batatas se só plantou bananas, sua fábrica não pode vender parafuso se fabricou tampa de caneta e da mesma forma nós não podemos oferecer aquilo que não temos ou não cultuamos dentro de nós.

Como se pode dar o que não se tem? Sabemos que é possível comprar uma mercadoria numa loja e presentear alguém que gostamos com um presente, mas quando falamos de se doar para o próximo sabemos que isso envolve outro tipo de aquisição que não se inclui na lista de mercadorias que se pode comprar por aí. Estamos falando de sentimentos e de conhecimentos que vamos colecionando ao longo do tempo. Ainda não inventaram uma maneira de se comprar esse tipo de alimento. Podemos comprar um pacote de arroz no supermercado, mas não encontramos um pacote preenchido com tantas gramas de amor ou recheado com um punhado de alegria para vender exposto nas vitrines dos shoppings da cidade. Já pensou que legal? Não existiriam mais pessoas depressivas ou descontroladas por aí. Tudo poderia ser resolvido se incluído na lista das compras mensais do supermercado.

Não é assim que as coisas funcionam. O tipo de mercadoria de que falo tem que ser garimpado, tem que ser suado. E no mais profundo das montanhas onde se encontram as pedras preciosas. Nada pode ser adquirido sem esforço e cabe a cada um de nós o empenho para conquistar nossa cota de valores ao longo das nossas vidas e distribuí-la com os outros.

Pelas leis da Cabala – palavra que em hebraico (Kabbalah, Qbl) significa recebimento, aceitação e tem sua origem em uma tradição que vem de mais de cinco mil anos – tudo começa com o ato de receber. Por que receber? Porque só podemos dar algo se antes disso soubemos nos abrir para receber.
Conta a tradição cabalística que deus nos vê como cálices os quais ele naturalmente preenche com seu alimento (LUZ) e espera que o distribuamos para os outros; agindo assim estamos ajudando o próximo, além de abrir espaço em nós para que ele continue nos preenchendo com suas oferendas; no entanto, se assim não fazemos e guardamos tudo para nós mesmos, nossos recipientes começarão a vazar; estaremos quebrando a corrente do receber e dar e interromperemos uma lei natural da vida.

Partindo dessa premissa, de que devemos dar ao outro na mesma ordem em que recebemos tudo o que ganhamos, fica claro que antes de tudo precisamos aprender a receber. Sem esse princípio não teremos o que oferecer. “Receber” nesse contexto significa dar a si mesmo a oportunidade de se enriquecer de valores verdadeiros e tê-los para oferecer, significa que não estamos sendo egoístas quando vislumbramos o melhor para nós mesmos.

Estamos, sim, agindo de forma responsável para com nossos filhos, nossos pacientes e para com tudo o que gira ao nosso redor.
Ser egocêntrico significa não pensar no outro, mas não pensar em si, não cuidar de si mesmo representa ser irresponsável para consigo e com todos. Pense nisso.
Abraço.
Yara Mylene Ures

Submit a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>